A Vila das Crianças Tibetanas em Dharamsala, na Índia, é uma ONG que toma conta da vida e da educação de crianças órfãs e destituídas no exílio desde os anos 60.

Depois da invasão da China no Tibete, milhares de refugiados assolados pela guerra, fome e perda de suas famílias e casas seguiram Sua Santidade O Dalai Lama até Dharamsala, onde ele estabeleceu sua residência.

Com a idéia de que o futuro do Tibete dependia das futuras gerações e preocupado com o sofrimento de milhares de crianças que ficaram sem família e abrigo com o genocídio de 59, Dalai Lama criou a Vila, que primeiramente foi chamada de Casa para Crianças Tibetanas Refugiadas e comandada por sua irmã mais velha, Tsering Dolma, até a sua morte em 1964.

Depois disso, a irmã mais nova, Jetsun Pema, assumiu a direção da casa e transformou-a num verdadeiro centro comunitário, com casas de família para as crianças, serviços escolares, centro de orientação vocacional e para professores, cuidando de um total de 15.000 crianças.

Até hoje milhares de tibetanos continuam a sofrer perseguição em sua terra natal. Muitos pais se sentem obrigados a abandonar seus filhos pela falta de esperança que se instalou no Tibete. O sistema educacional passou a destruir a identidade cultural do país, tornando o chinês a língua oficial nos colégios e orientando os professores a ensinar história da China no lugar da tibetana.

É comum ouvirmos histórias de bebês e crianças que são enviadas clandestinamente para a Índia, atravessando todo o Himalaia escondidas no meio de mercadorias em caminhões, ou com outros refugiados, correndo sérios riscos de vida. Existem relatos de pessoas que precisaram amputar os pés, congelados durante a travessia.

Toda criança precisa de amor, carinho e a segurança de uma família normal, além de educação. A Vila assegura todos esses direitos. As crianças vivem em casas, separadas em grupos. Cada casa tem seus pais de criação e uma estrutura doméstica própria: cozinha, sala, quartos, etc… As crianças são criadas como irmãos e contribuem com as tarefas domésticas junto com os pais.

Para cuidar da saúde física, mental e espiritual das crianças, a Vila oferece o que há de mais moderno na educação e para uma boa compreensão da cultura do Tibete. O importante é cultivar o senso de identidade nacional e permitir que as crianças tenham a esperança de que o povo tibetano retorne um dia para casa.

Se puderem ajudar nesta causa patrocinando uma criança nos seus estudos com o valor de U$40,00 por mês e ainda acompanhando a evolução do seu adotado através de cartas e pela internet, acesse:


Up Next:

Terra do Pecado